Fica a dica....

Barcelona arrebata corações !!!

Como chegar a Valle Nevado no Chile

Valle Nevado: A Estação de Ski a 3 mil metros de altitude na Cordilheira dos Andes no Chile


Valle Nevado é um centro de ski no Chile situado a 3 mil metros de altura no topo Cordilheira dos Andes, a 32 km da cidade de Santiago, capital do país. (Fiz um post completo sobre Santiago no link abaixo. Aproveite sua viagem ao Chile para curtir o que a cidade tem a oferecer, conhecer as vinícolas e gastronomia Chilenas, e curtir também seus dias no topo da Cordilheira dos Andes). 

Santiago: roteiro completo incluindo vinícolas e toda a cidade.
http://glaumenezes.blogspot.com.br/2015/03/santiago-chile.html

O resort de Valle Nevado foi criado em 1988 por empresários franceses, seguindo o padrão dos melhores resorts de ski existentes na Europa. Atualmente é o maior centro de práticas de esportes relacionados à neve no hemisfério sul. A neve geralmente começa entre final no final de maio, mas a temporada mesmo inicia em junho e termina em outubro


Pelo segundo ano consecutivo, o Valle Nevado, considerado a maior estação de esqui da América do Sul, foi eleito o “melhor resort de esqui do Chile”, segundo o World Travel AwardsPossui três hotéis classificados de três a cinco estrelas, além de seis restaurantes, quatro bares e pubs, 45 pistas para esqui ou snowboard, teleféricos, lojas e apartamentos residenciais. O prêmio World Ski Awards é uma espécie de “Oscar da Neve” e conta com uma eleição com votos de esquiadores e profissionais da indústria hoteleira como operadores turísticos e agências de viagens.
Empresa de Turismo Turistik faz o tour de Santiago a Valle Nevado 

Como passar um dia inteiro em Valle Nevado


Eu tinha poucos dias no Chile e como queria conhecer a cidade, ir a vinícolas, subir nos cerros (morros) da cidade, conhecer a gastronomia, então decidi reservar apenas um diapara subir a Cordilheira e ver a neve. Sim, há a opção de passar um dia inteiro em Valle Nevado, ou a metade de um dia (manhã ou tarde), se você não quiser ou não puder se hospedar lá no Resort. 


A empresa escolhida para me levar até Valle Nevado foi a Turistik http://www.turistik.cl/tour/ devido a ótimas recomendações de outros blogueiros de viagem e de amigos, porém, há também a http://www.turistour.cl que tem ótima reputação.

Fiz a reserva antecipada pelo site e paguei com cartão de crédito. Recebi por e-mail a confirmação do dia e horário que eles me buscariam no hotel.

No dia escolhido, um final de maio, o dia amanheceu lindo e ensolarado, porém bastante frio, e de acordo previsão do tempo, Valle Nevado já estava coberto de neve. No horário combinado, a empresa me buscou no hotel pela manhã, num mini ônibus, tipo van, com logo da empresa (eu soube pelo guia que a estrada não permite ônibus maiores por segurança, afinal é uma das estradas mais radicais do mundo e isso me deixou bem animada, pois adoro adrenalina). 

Após buscar todos em seus hotéis - e eu fui a última a entrar na van - eles param num grande estacionamento da empresa de turismo em Santiago, e ali todos os guias turísticos fazem o check de todos os nomes, guias que irão fazer o tour e motoristas. Depois desse check geral, cada mini ônibus segue para o seu tour: Valle Nevado, Vinícolas, Viña Del Mar, etc. 
Os guias são bilíngues, profissionais e super competentes. O motorista se mostrou bantante experiente na desafiadora estrada que leva a Valle Nevado. A estrada Vitacura que passa por uma outra estação de ski mais frequentada pelos Chilenos e menos pelos turistas, a Farellones. 

Antes do inicio da estrada, paramos numa empresa de aluguel de equipamentos para neve - mesmo sendo mês de maio e inicio da temporada de neve, tivemos que alugar botas próprias para neve, pois não seria possível passear pelo resort, tamanha camada de neve que já haviaPegamos a avenida Presidente Kennedy, ainda em Santiago e passamos ao largo de três grandes shoppings e antes de sair da cidade, paramos numa lojinha da Skitotal na avenida Nueva Las Condes para alugar roupas próprias para a neve. Bota impermeável e luva é imprescindível !!! Eu aluguei e usei MUITO e realmente foi necessário devido a funda camada de neve pelo resort. Não haveria como caminhar com uma bota comum. 




A estrada Vitacura que leva a Valle Nevado passa por uma outra estação de Ski chamada Farellones e seu caminho mostra paisagens deslumbrantes, mas também curvas de dar arrepios, são em torno de 60 curvas fechadas que vão contornando a montanha até chegar ao topo da Cordilheira dos Andes, chegando a estação de Ski de Valle Nevado que fica a 3 mil metros de altitude. Eu particularmente acho melhor não arriscar alugar carro e ir por conta própria, principalmente que já houver neve.


No dia da viagem a Valle Nevado, tome cuidado com o café da manhã, muitas pessoas passaram mal, cuidado também com a alimentação lá na Cordilheira algumas horas antes de fazer a viagem de volta a Santiago. O trajeto dura em torno de 1 hora e meia devido as muitas curvas e alguns pontos que, se houver muita neve, você precisa atravessar com cuidado. 



A estrada tem 60 curvas fechadas como essa e nesse trecho ainda não havia muita neve




Estrada de Santiago a Valle Nevado 

Confesso que no início do trajeto pensamos: "É só isso ? Essas são as tão temidas curvas? Ah! Será moleza! Povo medroso!". Mas bastou mais alguns minutos e a paisagem começou mudar completamente de lindas montanhas para neve completa, tudo completamente tomado pela neve e ai pensei: "Sabe de nada inocente". As curvas são realmente muito fechadas e é necessário cautela pois conforme a altitude aumenta (são 3 mil metros de altura), mais fechadas ficam as 60 curvas. 


A estrada foi toda construída contornando a Cordilheira. Eu não passei mal, não sei se curiosamente por ter tomado muita Ginger Ale (bebida que adoro, a base de gengibre e muito comum nos Estados Unidos, Canadá, Japão e sei lá porque, também muito vendida no Chile), mas o que os guias recomendam é que masque chicletes e olhe sempre para a frente, para o horizonte, nunca para a janela ao seu lado, porém, isso é quase impossível com tantas paisagens lindas e com uma câmera semi profissional na mão. 





Na subida da estrada passamos por muitos praticante de mountain bike (bicicleta na montanha) e mesmo eu adorando adrenalina e esportes, fiquei impressionada com o condicionamento físico deles.

Percebi que alguns carros vão acompanhando alguns deles, talvez para dar um suporte se necessário.


Praticante corajoso de mountain bike no caminho a Valle Nevado
  
Chegando em Valle Nevado, a sensação de estar no topo da montanha, é de uma paz e de um contato consigo mesmo que nem consigo explicar. A Cordilheira vista lá de cima é espetacular. O silêncio em meio a tanta neve, tanta beleza, nos coloca em contato com nós mesmos. 


Momento reflexão sob o silêncio da Cordilheira dos Andes 

O resort tem muitas família, mas também muitos casais e turma de amigos. As pessoas que ali frequentam são em geral estrangeiros como eu. 
Para quem quer ir a Valle Nevado só para ter contato com a neve, pegar na neve, beijar a neve, namorar com a neve, conversar com a neve, esse é um momento único. E para a maioria dos brasileiros como eu, que tem pouco contato com a neve e para os que vivem em grandes cidades como São Paulo como eu, Valle Nevado encanta. Com a inauguração do teleférico de cabine fechada, que leva a um restaurante a 3.200 metros de altitude, Valle Nevado agora tem também uma atração para não-esquiadores. O acesso à área das pistas na alta temporada custa 33.000 pesos (em torno 66 dólares), e só se justifica para quem vai passar o dia inteiro.

Enquanto Valle Nevado é uma estação de esqui tipo exportação, voltada sobretudo aos turistas estrangeiros, Farellones funciona como um playground da neve para os santiaguinos. As instalações são bem mais modestas, os ingressos são mais em conta (o acesso na alta temporada custa 10.000 pesos, ou 20 dólares) e, o que é melhor: há diversões até para quem não queira esquiar ou fazer snowboard.







Um dos restaurantes de Valle Nevado 


Restaurantes em Valle Nevado: 


Como naturalmente tudo na montanha é caro, não dependa só dos restaurantes e leve na bolsa ou mochila alguns snacks e bebida que vc compra com baixo custo nos supermercados de Santiago.

Segue abaixo os restaurantes na montanha. Detalhe para o novo Bajo Zero no meio das pistas de ski. Quem visita o Valle Nevado e só quer conhecer o resort, ver neve e não quer esquiar, pode pegar novo teleférico de cabine fechada que sobrevoa as pistas de esqui e leva ao restaurante Bajo Zero (que fica a 3.200 metros de altitude). Até ano passado, só os esquiadores chegavam a este ponto da montanha. Este ano o terraço foi ampliado para que você também possa almoçar no mirante mais espetacular da montanha, observando o movimento das pistas. O passe que dá direito ao teleférico custa US$ 42 durante a semana (seg. à sex) e US$ 90 aos finais de semana (sáb. e dom.) por pessoa. O almoço no Bajo Zero deverá ser pago à parte. 



Mirador del PlomoLocalizado no Hotel Puerta del Sol, este restaurante de cozinha internacional buffet. 

SurOs melhores pratos a la carte Localizado no Hotel Tres Puntas

La Fourchette - Serve churrasco na varanda !

Don GiovanniPastas e carnes ao lado do Bar Lounge esta este delicioso restaurante. Nele poderá degustar a mais deliciosa e exclusiva cozinha italiana gourmet acompanhada do melhor atendimento.


Bajo Zero - Fica no meio das pistas de ski. 

La LeñeraPara comer rápido e bem. Inaugurado em 2014, o La Leñera oferece um cardápio variado, com pratos anglo-chilenos


Pubs e Bareshttp://www.vallenevado.com/pt/ski-bar/

Obs.: Minimercado abre diariamente até as 21h, junto aos edifícios residenciais. Hóspedes dos hotéis Valle Nevado e Puerta del Sol também têm à sua disposição room service 24 horas.




Minha prima e eu em Valle Nevado













Empresas que fazem transfer de Santiago a Valle Nevado


Turistour

USD 35 p/p  somente o trasnferir do hotel até valle nevado ida e volta (não inclui aluguel de equipamentos e gastos no resort)

USD 129 p/p  inclui transfer do hotel até valle nevado ida e volta mais o aluguel de equipamentos e bilhete para um dia de ski nos Andes. 
USD 162 p/p   inclui transfer do hotel até valle nevado ida e volta mais o aluguel de equipamentos e bilhete para um dia de ski nos Andes e um dia de aula para esquiar. 

Site:  http://www.turistour.cl/tour/br/excursoes/santiago-and-arredores/transfer-valle-nevado-detail?limitstart=0&limit=int





Turistik 
US$ 43,3 dolares - Tour de meio dia na montanha, você escolhe ir pela manhã ou na parte da tarde. Eles buscam no hotel e no retorno te deixam no hotel. 
US$ 48,3 transfer de um dia inteiro a Valle Nevado. Buscam no hotel pela manhã por volta das 7:30h e no caminho param por uns 30 minutos num local de aluguel de equipamentos e ski. Passam o dia na montanha e voltam ao final do dia. 



Vídeo no Resort de Ski Valle Nevado no topo das 
Cordilheiras dos Andes no Chile

Voltando para Santiago 

Passamos na lojinha da Ski Total para devolver os itens alugados. Quem quisesse podia ficar num dos shoppings pelo caminho - um grupo pediu para descer no Parque Arauco. Eu quis ir direto para o hotel, ao lado do Cerro Santa Lucía pois eu tinha reserva para jantar no Restaurante que mais amei em Santiago, chamado "como água para chocolate". No post sobre Santiago eu falo dele e do que fazer na cidade, e outros passeios como a vinícola Concha y toro, Cerro San cristóvan e Casa onde viveu o poeta Pablo Neruda. 


Minha rápida impressão sobre Valle Nevado (afinal só desfrutei um dia no Resort) 

Em Valle Nevado você verá neve, lindas montanhas e três hotéis com restaurantes. Esse ano inaugurou o teleférico com cabine coberta que lhe leva a um restaurante com mirante no meio das pistas de ski a 3.200 metros de altitude. É  isso que existe no Valle Nevado. Tha’t it! Tem que gostar do esporte e desfrutar das belas montanhas. É LINDO. Porém, há poucas lojinhas, cafés e nada de ruas para você bater perna. Alguns bares e pubs. Os hotéis são Tres Puntas  (o mais barato), Puerta del Sol (o intermediário) e o mais caro é o  hotel Valle NevadoPara quem quer passar mais de um dia Valle Nevado, o melhor é fazer uma reserva em um dos hotéis através dos sites oficiais abaixo:  



O que fazer em Santiago e arredores (roteiro completo):

http://glaumenezes.blogspot.com.br/2015/03/santiago-chile.html

Espero que você desfrute bem da sua viagem ao Chile e aproveite para conhecer não somente Valle Nevado, mas também Santiago e sua gastronomia, as famosas vinícolas, Viña Del Mar e Valparaíso, e tenha ótimas lembranças, assim como eu sempre terei desse país lindo na América do Sul.



Valle Nevado - Chile 

A Espanha, seus horários malucos e a famosa “siesta”

A Espanha e seus costumes

Fique calmo e faça uma siesta (a soneca da tarde)

A Espanha é famosa por muitas coisas: sua gastronomia, cultura, literatura, história e, é claro, por ter os horários mais estranhos do mundo. Por aqui é possível fazer reserva para jantar às 23h (11 pm) e nem sonhe em entrar em um restaurante ao meio-dia pensando que vai encontrar o almoço pronto! Isso sem falar na famosa siesta, que dificulta a vida dos estrangeiros que chegam aqui para morar e desconhecem esse costume. Mas não diga a um espanhol que ele está fazendo isso errado, porque, embora saiba que o mundo inteiro almoça às 12h e janta às 19h ou às 20h, ele continuará defendendo essa tradição com “unhas e dentes”.

Foto: Vincent Brassinne (CreativeCommons)Para quem vem de fora, se acostumar com os horários espanhóis demora um pouco. Lembro que logo que cheguei uma das coisas que eu mais estranhava era ouvir os colegas de mestrado falando que tinham dificuldade em “madrugar” para ir à aula. Quando eu perguntava que horas era esse “madrugar”, a resposta era 8, 8:30 da manhã! Eu ficava chocada, porque quando morava no Brasil tinha que acordar às 6h para entrar no trabalho às 8h. Depois, ao começar a trabalhar, descobri que pouca gente entra no escritório antes das 9h – exceto no verão, quando todo mundo entra mais cedo para sair às 15h e aproveitar o sol o máximo possível, ou seja, até às 22h da noite, quando finalmente ele se põe.
Quando chegou o inverno, eu achei que acordar mais tarde era consequência do clima: é difícil sair da cama cedo quando faz cinco graus lá fora e o sol não sai antes das 8h30; mas essa teoria não tinha sentido, porque senão toda a Europa ou região fria do mundo seria assim.
A verdade é que o grande culpado desses horários “malucos” é o calor. Durante o verão, faz muito calor em grande parte do país, com temperaturas superiores aos 40 graus, o que tornava praticamente impossível trabalhar ao ar livre durante as horas mais quentes do dia. Além disso, os espanhóis sempre tiveram o costume de comer bastante na hora do almoço, dificultando ainda mais a situação. A solução foi a jornada de trabalho “partida” (dividida), formada por umas quatro horas no turno da manhã (entre 10h e 14h, por exemplo) e três ou quatro horas no turno da tarde (das 17h às 20h30). Esse horário não é regra e as grandes empresas normalmente já adotam o horário “normal”, mas é comum nos pequenos comércios. Nas cidades menores, ele é quase unânime.






siesta,horario,espanha
Horário de trabalho em um comércio madrilenho

Mas os espanhóis dormem a “siesta”? A verdade é que a grande maioria deles não e essas horas depois do almoço acabam sendo um pouco perdidas, já que, como eu falei, muitos comércios fecham e é difícil – praticamente impossível – encontrar um curso ou algo do tipo nesse horário.
A HORA ERRADA DA ESPANHA
Se você olhar um mapa-mundi dividido pelo fuso-horário, você vai ver que a Espanha deveria ter o mesmo horário de Portugal, mas isso não acontece. Quando chega na Espanha, a linha do fuso faz um desvio! A origem dessa mudança é bem curiosa: durante a Segunda Guerra Mundial, o ditador espanhol Franco decidiu adiantar a hora da Espanha em uma hora para ter o mesmo horário que a Alemanha de Hitler. A lei, de 1940, dizia que o horário voltaria ao normal no momento certo, algo que nunca aconteceu. Por isso, se os espanhóis almoçam às 14h, na verdade são 13h, o que teria mais sentido.
COMO O HORÁRIO AFETA OS TURISTAS?
Se você está vindo para a Espanha e ficou preocupado com os horários, relaxe! Na maioria das vezes, os turistas nem percebem tanto esse costume diferente porque os lugares turísticos costumam funcionar em horários “normais”, como as lojas, museus e atrações turísticas. O único problema pode ser os restaurantes: grande parte deles já oferece almoço e jantar durante um horário amplo, especialmente as redes ou aqueles que estão localizado em regiões muito turísticas; mas nos outros restaurantes, o jeito é segurar a fome e esperar até às 14h para almoçar ou até às 21h para jantar. E se um espanhol te convidar para jantar na casa dele às 22:30, nem pense em chegar mais cedo! Ele provavelmente ainda estará cozinhando e vai achar a sua pressa muito estranha!

Repost do blog que acompanho "Esto es Madrid, Madrid"


Santiago do Chile - A cidade aos pés da Cordilheira dos Andes

Santiago do Chile e Cordilheira dos Andes

Localizada no vale central chileno, Santiago tem uma das vistas mais belas que já vi: a Cordilheira dos Andes, maior cadeia de montanhas do mundo. 

     
Tentando observar a cidade coberta pela neblina a partir do Cerro San Cristóbal
      Santiago ( "São Tiago" em espanhol) é a capital e a maior cidade do Chile, que é um país com um território estreito e comprido feito um taco de bilhar e espremido entre a Cordilheira dos Andes e o Oceano Pacífico. É uma cidade plana e pode ser percorrida a pé, principalmente seu centro histórico, com ruas exclusivas para pedestres. 

Santiago esta a apenas 4 horas de voo de São Paulo e oferece muitas opções ao viajante desde uma visita a casa museu onde viveu o poeta chileno Pablo Neruda (prêmio nobel de literatura), subir cerros (morros) com vista de tirar o fôlego de toda a cidade e da Cordilheira dos Andes, ir a restaurantes e cafés maravilhosos, subir os 3 mil metros até Valle Nevado onde se pode praticar esportes na neve ou simplesmente respirar o ar puro da Montanha fora da temporada de neve, visitar vinhedos de grandes vinículas como a fazenda Concha y Toro e a histórica vinícula do século 18, a Cousiño-Macul e degustar ótimos vinhos, respirar o cheiro de mar do seu litoral banhado pelo Oceano Pacífico e muito mais.

A cosmopolita Santiago vê muita gente passar por ela pois é escala obrigatória de quem vai as fantásticas regiões naturais do pais, mas merece muito mais do que algumas horas de conexão entre um voo e outro. Eu digo que 4 ou 5 dias são suficientes para fazer um turismo completo por toda região de santiago e arredores: conhecer toda cidade e suas vinículas, um dia inteiro em Valle Nevado e um dia em Valparaíso e Vina Del Mar no oceano Pacífico. Você vai se apaixonar por esse país lindíssimo ! Logo no voo, quando estiver sobrevoando a poderosa Cordilheira dos Andes, você já fica empolgado com o que esta por vir. Prepare sua câmera fotográfica e seu estado de espírito e desfrute dessa viagem a América do Sul. 

Up in the air - Flying over of Andes/
Voo sobre a Cordilheira dos Andes 

 ✈ Voos para Santiago 


São diversas empresas que fazem voos diários até Santiago no Chile. Eu optei por voar pela empresa chilena LAN Airlines (ótimo serviço ) parceira da empresa brasileira TAM Airlines, ambas parceiras de um dos programas globais de milhagens que eu utilizo, a One World

Diariamente há voos diretos para Santiago saindo do aeroporto internacional de Guarulhos em São Paulo pelas empresas aéreas LAN, TAM, GOL e Sky. Do resto do mundo são as empresas aéreas Copa, Aerolíneas Argentinas, American Airlines, Avianca, KLM e TAM que voam para a cidade Chilena. 

Eu sempre utilizo os seguintes sites para pesquisar as melhores tarifas para todas as minhas viagens: skyscannerDecolarMelhoresDestinos Todos esses sites que citei possuem a opção de colocar o seu e-mail e determinar a tarifa, local, e data provável da viagem e eles avisam no caso de promoção aérea. Além de ter o app "MelhoresDestinos" no celular pois ele avisa em tempo toda e qualquer promoção aérea.  #FicaaDica ☺ 


Neve na Cordilheira dos Andes - Chile 

Como ir do Aeroporto de Santiago ao Centro

O Aeropuerto Arturo Merino Benitez/ Santiago de Chile fica a 13 km do centro e você pode optar por ir de táxi, van ou o ônibus executivo que faz o trajeto aeroporto/ estações de metrô no centro. 


  • Táxi: Logo no desembarque no aeroporto, você será atormentado por um milhão de taxistas oferecendo seus serviços. Não estou exagerando! Mas há também as empresas oficiais. Por isso negocie valores. Pela Transvip você paga em torno de 6 mil pesos por pessoa para ir até os hotéis centrais em transporte compartilhado tipo van e 18 mil pesos em táxi executivo. Há também as empresas Taxi Oficial e Radio Movil, todas com preço tabelado. 
  • Ônibus executivo Aeroporto/ Centro/ Aeroporto: Opção infinitamente mais econômica, o serviço de Bus no aeroporto de Santiago possui duas empresas que oferecem o serviço diariamente, a Tur-Bus (ônibus verde) e a Centropuerto (ônibus azul). Ambos saem do primeiro andar do aeroporto, em frente à saída 5, e fazem suas paradas nas entradas de algumas principais estações do metrô de Santiago. O preço é de 1.500 pesos por trecho ou ida e volta por 2600 pesos.  Os ônibus só aceitam moeda chilena, então, se optar por esse transporte troque somente o necessário na casa de câmbio no desembarque no aeroporto. 
No Trajeto do Aeroporto a Santiago se vê a Cordilheira dos Andes protegendo a toda a cidade. 

Como funciona o câmbio/ troca de dinheiro em Santiago: 

Primeiro de tudo, leve sua própria moeda pois em Santiago as casas de câmbio trocam quase tudo. Não precisa fazer câmbio aqui no Brasil e nem vale a pena pois você sairá perdendo. Eu tinha reais, alguns dólares e algum dinheiro em peso argentino e troquei as 3 moedas sem problemas com uma boa taxa de câmbio. 

Há uma casa de câmbio logo no desembarque da Afex (que tem também no centro) e provavelmente você precisará trocar um pouco de dinheiro para pagar o transporte do aeroporto até a cidade, mas a tarifa não é das melhores e assim como muitas casas de câmbio do centro, cobram taxa para trocar seu dinheiro. Vale comparar a cotação. Depende muito. No centro de Santiago na região do Paseo Ahumada, próximo ao Palácio La Moneda há diversas outras casas de câmbio com boas tarifas. Há também uma casa de câmbio bem próximo a entrada principal do Cerro Santa Lucía. E, a melhor dica de todas: sábado a noite e domingo durante todo o dia, as casas de câmbio fecham na cidade, mas há uma casa de câmbio funcionando durante todo o final de semana dentro do Patio Bellavista, inclusive aos domingos (Patio Bella Vista é uma espécie de shopping gastronômico de Santiago). Fica em frente a empresa de turismo Turistik (a empresa que fez meu tour para Valle Nevado). 

Hoje, data dessa edição, o câmbio estava assim: R$ 1 (BRL) um real equivale a mais ou menos 220 pesos chilenos (CLP) e 1 (USD)  um dólar americano vale 623 pesos chilenos (CLP). 
Fonte / Clique no link e faça sua cotação: Economia.uol.com.br/cotacoes

Chilenos no Paseo Ahumada - centro de Santiago 


Onde se hospedar: 

Em Santiago uma ótima opção de hospedagem são os apart hotéis/ flats, muito comuns por lá. São de altíssima qualidade, novíssimos, de alto padrão e pelo mesmo preço ou mais em conta que um hotel. Eu escolhi ficar no boêmio e charmoso bairro Lastarria, aos pés do Cerro Santa Lucía no Horizongroup-apartment do mesmo grupo e no mesmo endereço que Santiago-apartamentos, ambos na Calle Merced, 562 em frente ao Cerro Santa Lucía e a 400 metros dos pontos turísticos do centro, pertinho do Parque Florestal, ao lado de supermercado e o melhor é a vista da sua varanda: o topo do Cerro Santa Lucia e a Cordilheira dos Andes bem a sua frente. Os quartos possuem uma pequena sala com varanda, TV tela plana e a cabo, banheiro com banheira, uma mini cozinha com fogão e geladeira e wifi. Se fizer reserva no Horizongroup-apartment não esqueça de pedir quarto com vista para a Cordilheira dos Andes e Cerro Santa Lucía. 

O site por onde eu sempre encontro ótimas opções de hospedagem é pelo site Decolar.com/hoteis e foi onde encontrei o Horizont Group em Santiago. Sempre reservo por lá para qualquer lugar do mundo e com ótimos descontos em excelentes hotéis ou hostels. Super seguro e garantido. Lá pelo Decolar.com na aba hotéis, você tem várias opções para encontrar o que precisa, desde de um hostel até um hotel 5 estrelas. Após selecionar a cidade de destino e data da viagem você dispõe das seguintes opções: hotéis por estrelas (hotel 3, 4, 5 estrelas), por preço da diária, por bairro e por recomendação e popularidade, isso mesmo, você sabe como o local foi avaliado por outros viajantes!




Vista da varanda do Horizont Group Apartments em Santiago

Passeio clássico: Paseo Ahumada

O Paseo Ahumada é uma via exclusiva para pedestres que concentra importantes prédios históricos, também grandes lojas a casas de câmbio e muita muamba. Como é o centro da cidade, não é assim tão bonito e eu particularmente fiquei muito pouco tempo por lá. Fui a pé a partir do apart hotel onde fiquei hospedada em Lastarria. É um dos passeios clássicos para conhecer a história da cidade.

No Paseo Ahumada você verá o Palácio de la Moneda que é a sede da presidência chilena, o prédio é imponente e também super fotogênico, construído em 1805. A troca da guarda acontece sempre às 10 horas da manhã em dias alternados. Para assistir a cerimônia, o ideal é esperar pela porta dos fundos, de onde se tem uma visão mais privilegiada. Se for de metrô: Estação La Moneda.

Um pouco adiante, no mesmo calçadão, há a Plaza de Armas e prédios coloniais, como a Casa Colorada (hoje chamado Museu de Santiago) e o Palácio de la Real Audiência (hoje chamado de Museu Histórico Nacional). 

Ainda no Paseo Almada... há o Café com piernas (existe vários pelo Passeo Ahumada). No Chile é proibido fumar em muitos lugares, assim os fumantes se concentram nesses tipos de bares. Lá dizem ter mulheres lindas com roupas sensuais e curtas como garçonetes. Daí o nome "Café com Piernas". 

O passeio clássico termina no Mercado Central, um ótimo lugar para degustar pratos com frutos do mar típicos do oceano pacífico (humm yummy yummy I love it). Tanto no Mercado Central como em toda Santiago, você encontra uma variedade de frutos do mar como a jaiba que é um siri grande, comum como recheio de torta (o pastel de jaiba), o choro que é um mexilhão, e a centolla (caranguejo gigante da Patagônia), a Almeja que é uma espécie de vôngole, o Loco que é molusco que só existe na costa chilena e peruana, também chamado de abalón chileno

Depois de visitar o Mercado Central, aproveite e vá ao Cerro Santa Lucía, a algumas quadras de caminhada do Mercado Central, ou pegue o metrô até estação Santa Lucía. Eu particularmente adoro caminhar e ver a cidade, prédios, vitrines, etc, tudo a pé. 



Museu de Santiago 

Teatro Municipal de Santiago 


Passeio clássico: 
Cerro Santa Lucia / Santa Lucia Hill 

O Cerro Santa Lucía é uma viagem pela história da fundação da cidade de Santiago e da própria colonização espanhola. Fica entre o bairro Lastarria e o centro, no final da Rua Merced. Tem 629 metros acima do nível do mar e 69 metros de altura, oferecendo uma ótima vista 360 graus da cidade (não é tão alto e nem tem uma vista tão bonita quanto ao Cerro San Cristóbal mas vale a visita). Na entrada há Terraza Neptuno, uma fonte de água inspirada na Fontana di Trevi, de Roma e no topo do parque (depois de em torno de 200 lances de escadas ) há um mirante que compensa qualquer sacrifício, com uma vista maravilhosa da Cordilheira dos Andes. 
A cidade de Santiago foi fundada aos pés do Cerro Santa Lucía, em um acampamento indígena mapuche (povo indígena do Chile que resistiu à conquista pelos espanhóis por mais de 300 anos) às margens do rio Mapocho, em 1541, pelo conquistador espanhol Pedro de Valdívia. O Cerro foi batizado em homenagem a Santa Lucía de Siracusa.
O cerro era, no início, um mirante e ponto de reconhecimento da cidade para os conquistadores Espanhóis. No início do século 19, transformou-se em uma fortaleza das tropas leais ao rei de Espanha. Em 1870 tornou-se um parque público, com bosques, parques, monumentos, mirantes e jardins, criado por Benjamín Vicuña MacKenna como parte de um projeto urbanístico para a cidade. Em 1983 foi declarado monumento histórico nacional do Chile. 








Entrada Cerro Santa Lucía a partir da Calle Merced


Entrada principal do Cerro Santa Lucía
Cerro Santa Lucía

Topo Cerro Santa Lucía
Passeio clássico: Bairra Lastarria e Parque Florestal 

No bairro onde fica o Cerro Santa Lucía, bairro Lastarria, acontece uma das mais famosas feirinhas de artesanato de rua de Santiago (de quinta a domingo na Calle Jose Victorino Lastarria). Por ali também está o Museu de Artes Visuales e o Centro Cultural Gabriela Mistral. Esse charmoso bairro é uma espécie de Vila Madalena (bairro boêmio de São Paulo), com casinhas coloridas com das ruas espanholas. Há muitos restaurantes, bares, cafés, sorveterias, lojas, teatros e galerias de arte. A noite as mesas dispostas nas calçadas são tomadas por turistas. 

O Parque Florestal é a área verde que marca a divisa entre o bairro boêmio de Bellavista e o intelectual Lastarria. Ou seja, é o parque dos descolados. Foi nele que Pablo Neruda e Matilde Urrutia se conheceram (adoro a história de amor deles). Apesar de pequeno, é um lugar agradável, com árvores altas e frondosas, cheio de banquinhos, muito querido pelos santiaguinos. Na extremidade próxima à Plaza Italia (ou Plaza Baquedano) fica a Fuente Alemana, uma escultura-cenário de pedra e bronze, presente da colônia alemã ao Chile no centenário da independência. Simboliza algumas virtudes do país sul-americano: riquezas minerais, seus trabalhadores e o mar.


Parque Florestal 

Parque Florestal 

Parque Florestal 

Parque Florestal 


Passeio clássico: 
Bairro Paris-Londres (Calle Paris e Calle Londres)


O bairro Paris-Londres é um charmoso da cidade de Santiago, bem pequeno. Foi construído por volta de 1920 e 1930 nos jardins do Mosteiro de São Francisco. As ruas são todas de ladrilhos, os edifícios projetados seguindo as tendências da arquitetura européia. Há quem diga que parece com o Quartier Latin de Paris. 





Passeio clássico: 
Bairro Bellavista, Pátio BellaVista, Casa La Chascona de Pablo Neruda, Cerro San Cristóbal


Bairro Bellavista/ Calle Constitución 
Bellavista é o meu bairro favorito em Santiago, com um clima aconchegante e um charme a moda antiga, é dos bairros mais representativos da cidade e se destaca por sua famosa vida boêmia. A algumas décadas, foi o bairro escolhido pela classe alta, o que hoje em dia se reflete num atrativo urbano, graças à sua particular arquitetura. Tudo isso faz com que Bellavista seja um bairro especial. É uma perfeita mistura entre gastronomia, arte, entretenimento e histórica. O poeta Pablo Neruda viveu por lá. 

Você pode escolher entre as dezenas de incríveis restaurantes, distribuídos em ruas como a calle Constitución, onde estão localizados os dois restaurantes que julgo imperdíveis, adorei e recomendo a visita: o histórico Restaurante Galindo de comidas típicas chilenas, funciona a quase 70 anos e experimentei o melhor pastel de choclo (comida típica chilena a base de milho), empanadas de carne e o drink típico chileno pisco sour (destilado à base de uva moscatel). 

Também na Calle Constitución fica o disputado restaurante afrodisíaco Como Agua para Chocolate Restaurant ideal para um jantar especial. Não deixe de reservar uma noite para se entregar ao prazer de experimentar o menu desse restaurante que possui comida afrodisíaca, ótima carta de vinhos, sommeliers atenciosos, ótimo atendimento e apresentação dos pratos e sobremesas divinas. O ambiente é sensacional, a luz de velas, com uma fonte tipo fontana de trevi no meio do restaurante, pétalas de rosas vermelhas e inspiração em Frida Khalo, tudo meio avermelhado para mexer com os sentidos. Exige pré reserva: reservas@comoaguaparachocolate.cl 



Menu do Restaurante Galindo na Calle Constitución

Como Água para Chocolate Restaurante (imperdível para um jantar a dois)

Calle Constitución - Bairro Bellavista
Restaurante Como Água para Chocolate
Bairro Bellavista

Bairro Bellavista


Casa La Chascona/ Casa onde viveu o Poeta Pablo Neruda 
O patrimônio cultural do bairro Bella Vista é a Casa Museu La Chascona, que pertenceu ao poeta Pablo Neruda. Fica no Bairro BellaVista aos pés do Cerro San Cristóbal. Essa construção em forma de navio localizada no boêmio bairro BellaVista é uma das três casas construídas para Pablo Neruda, escritor chileno ganhador do Nobel de Literatura de 1971. Erguido em 1953 para sua terceira e ultima mulher, Matilde Urrutia, que foi sua amante e o grande amor arrebatador do poeta, dona dos abundantes cabelos avermelhados e apelidada de “La Chascona” (a descabelada). O local abriga um museu com móveis e objetos da época, uma pinacoteca e uma coleção de objetos africanos adquiridos durante os anos em que o poeta se dedicou à carreira diplomática fazem parte do acervo.
Casa do poeta Pablo Neruda - La Chascona


Casa do poeta Pablo Neruda - La Chascona


Cerro San Cristobál 
Ainda em Bellavista, perto da casa La Chascona (Pablo Neruda) fica o Cerro San Cristóbal (um dos passeios que mais gostei em Santiago). Resquício da Cordilheira dos Andes, esta montanha de 880 metros é muito disputada aos domingos, quando centenas de santiaguinos sobem até o seu topo de bicicleta. O modo mais fácil de chegar ao topo é pegando o funicular (tipo aqueles bondinhos de Lisboa), que sai da entrada do parque. Lá de cima dá para ter uma boa visão da cidade, além de lojinhas de souvenirs e não deixe de provar o tradicional "Mote con Huesillos (bebida típica chilena, refrescante a base de milho, eu adorei!). Perto dali há uma estátua da Virgen de la Inmaculada Concepción, com 14 metros de altura. Foi onde o papa João Paulo II celebrou uma missa em 1987, na sua única visita ao Chile. Depois que escurecer, evite descer o Cerro caminhando, desça de funicular. 
Subindo o Cerro San Cristóbal de funicular

Experimentando o Mote Con Huesillos (bebida típica chilena a base de milho)


Topo do Cerro San Cristóbal cheia de ciclistas e esportistas aos domingos

Cerro San Cristóbal e a Cordilheira dos Andes encoberta pela neblina ao fundo

Estátua da Virgen de la Inmaculada Concepción no Cerro San Cristóbal

Cerro San Cristóbal 
Patio Bellavista 
Patio Bellavista, uma espécie de shopping de gastronomia localizado na rua Constitución, onde há restaurantes, bares e shows artísticos de todo tipo. A noite todos ficam por ali mesmo, entre o Patio ou pelas ruas do bairro Bellavista. Se o que você quer é percorrer as ruas, pode caminhar pelas ruas Pío Nono, Dardignac e Antonia López de Bello, lugares clássicos do bairro Bellavista, cheios de lugares para conhecer pessoas e dançar. Se precisar trocar dinheiro há uma casa de câmbio que abre todos os dias (inclusive aos domingos). 

Patio Bellavista a noite
Patio BellaVista



Passeio clássico: Sanhattan (Santiago + Manhattan)
Sanhattan é o maior centro financeiro da cidade de Santiago e se destaca pela moderna verticalização. O seu nome faz uma alusão a ilha de Manhattan em New York. 




VINHOS E VINÍCOLAS: Visite pelo menos uma vinícola nos arredores de Santiago 

Visitar uma vinícola em Santiago é quase um tour obrigatório no país andino. Há ao menos 7 vinícolas interessantes para visitar nos arredores de Santiago. 
O frio da Cordilheira dos Andes e da Patagônia Chilena, somado ao Oceano Pacífico e o Deserto do Atacama formam uma barreira intransponível contra pragas externas e criam as condições climáticas perfeitas para o desenvolvimento e o sucesso da atividade vinícola no Chile. E Santiago está situada sobre a região conhecida como Valle del Maipo, que é cortada pelo rio que leva o mesmo nome, desenvolvida aos pés da Cordilheira dos Andes, sendo o berço para o cultivo de diversas espécies de uvas utilizadas para a produção de vinho. Vou falar abaixo de como chegar nas 3 principais e mais frequentadas pelos turistas em geral: Viñas Undurraga, Cousiño-Macul e Concha y Toro.


Vinícola Concha y Toro:

Pegue o metrô da Linha Azul até a estação Puente Alto. Logo na saída do metrô você pode pegar um táxi, que deve custar uns 2 mil pesos no máximo até a vinícola, que já está bem perto ou um microônibus (Metrobus de linhas N73, 80 ou 81) que te deixa na porta (é necessário pedir ao motorista para te deixar na Concha y Toro, pois não há ponto de ônibus próximo)

O tour tradicional dura uma hora e custa em torno de 8.000 pesos e inclui a caminhada pelos bosques e parques da vinícola, a visita guiada às bodegas (incluindo a lendária bodega subterrânea do Casillero del Diablo), ao vinhedo Pirque Viejo, jardim de variedades de uvas, duas degustações de vinhos premium e uma taça de presente. Mas o melhor tour é o completo Marques de Casa y Concha dura uma hora e meia e custa em torno de 17 mil pesos. Além das atrações do Tour Tradicional, conta também com mais 4 degustações de vinhos premium guiadas por um sommelier e tábua de queijos finos, que também fica como presente para o visitante.

As visitas necessitam reserva pelo site: http://www.conchaytoro.com/web/tour/valores-e-reservas/

Vinícola Undurraga:


Pegar o metrô até a Estación Central  (Linha 1 – Vermelha). Ao sair do metrô procure as placas para o Terminal San Borja, que é uma rodoviária que fica no 2º andar de um mercado popular. No Terminal, procure pelo ônibus Tagalante. A tarifa custa mil pesos e você paga direto ao motorista. Avise que você está indo para a Viña Undurraga, ele te deixa na porta da vinícola. 
Um tour clássico, contempla uma visita completa aos jardins da propriedade, vinhedos, lavouras, área de produção, jardim de variedades de uvas, bodegas subterrâneas e para terminar, a degustação de 3 vinhos reserva (de diferentes linhas, de acordo com a disponibilidade) e ao final, o visitante ganha uma taça de presente, dura uma hora e quinze minutos e custa em torno de 8 mil pesos chilenos. Reservas elo e-mail visit@undurraga.cl ou pelo telefone +562 2372-2850. Site: www.undurraga.cl
Vinícola Cousiño-Macul:
Pegar o Metrô da Linha 4 (azul) até a estação Quilín. Da estação até a porta da vinícola, você tem que pegar um táxi, que não deve custar mais que 3 mil pesos. Essa é uma vinícula histórica datada do século XIX e fica numa propriedade da tradicional família de mesmo nome. No tour básico de 45 minutos você vai passear pela história da vinícola através de diferentes setores aonde o vinho era processado. A visita inclui os vinhedos, a bodega centenária, o museu e a atual bodega aonde ganha vida o ícone Lota. Inclui também duas degustações e uma taça de presente. No tour premium, além de todas as atrações do tour básico, há a degustação de mais duas variedades de vinhos da linha reserva e também do rótulo Finis Terrae, que faz parte da linha premium da Cousiño-Macul. Inclui 5 degustações, tábua de queijos e uma taça de presente. Dura uma hora e meia e custa em torno de 18 mil pesos chilenos. Reservas com um dia de antecedência pelo e-mail ventas@cousinomacul.cl ou diretamente pelo site da vinícola www.cousinomacul.com
Passeio clássico de um dia ao litoral de Santiago: 
Valparaíso e Viña Del Mar no Oceano Pacífico
Há algumas empresas como a Turistik que fazem esse e outros passeios de forma guiada, porém são caros e você fica a disposição do tempo da agência e não ao seu. Há formas de fazer o passeio por conta própria de forma muito simples, no seu tempo. Tire um dia para esse passeio. Segue abaixo a melhor forma de chegar lá:  

Valparaíso
Fica a 120 km de Santiago e existem três formas de se chegar lá: som ônibus da Turbus ou Pullman, que saem a cada 15 minutos do Terminal Alameda (em frente à estação Universidad de Santiago – linha 1 vermelha). A passagem de ida e volta custa em torno 8 mil pesos e você pode voltar tanto de Valparaíso, como de Viña del Mar (a cidade vizinha). O ticket pode ser comprado pela internet ou mesmo na rodoviária e o trajeto demora cerca de 1h30. É bom já garantir o bilhete de retorno, porque a rodoviária costuma ficar cheia em qualquer época. Valparaíso é uma cidade portuária meio bagunçada, com incontáveis morros e simpáticas casas coloridas, cada uma com uma visão privilegiada do Oceano Pacífico. Lá esta uma das casas do poeta Pablo Neruda, La Sebastiana, de onde se tem uma vista maravilhosa de toda a cidade. O ingresso para entrar na casa-museu custa 3 mil pesos. O Cerro Concepcion também rende fotos maravilhosas.

Viña del Mar
Para chegar em Viña Del Mar você pode optar pelo táxi de Valparaíso (cerca de 15 mil pesos ) ou o metrô de superfície que vai pela orla mesmo. É bem novinho, limpo e funciona até 22 horas. O valor do ticket depende do horário e varia de 263 pesos 1.167 pesos. De qualquer forma, é preciso adquirir um cartão do metrô, que custa 1,2 mil pesos chilenos. Viña del Mar é considerada a “capital turística do Chile” e possui algumas das melhores praias do país, por isso atrai tantos turistas, principalmente no verão. Também conhecida como “a cidade jardim”, possui uma grande infra-estrutura hoteleira e gastronômica que ajudam a fazer do turismo a sua principal atividade econômica. Um bom ponto turístico é o Castello Wullf construído por um comerciante alemão, Gustavo Wulff em1906, com traços influenciados pelo estilo francês e alemão. A torre serviu de residência para seu criador até sua morte, quando passou para o domínio de sua esposa, que reformou o castelo para então vendê-lo ao município de Viña del Mar. Atualmente é utilizado como sala de exibição para mostras de arte. A entrada no castelo é gratuita. Ao lado do castelo há uma pedra bem alta que serve como mirante, com um visual panorâmico da Playa Miramar, do Oceano Pacífico e da principal orla da cidade, a Av. Peru.Saindo do castelo vá em direção à cidade, atravessando a Ponte Casino, para almoçar no restaurante Divino Pecado, um dos melhores restaurantes de Viña del Mar na opinião dos leitores do site Trip Advisor. É um restaurante italiano pequeno e bem agradável, localizado bem no início da Av. San Martín, em frente ao Casino da cidade. atravessando a rua, chegamos ao Casino de Viña del Mar, o casino mais antigo do Chile, inaugurado em 1930. Ele está localizado junto a um grande hotel resort, num complexo com vários restaurantes, bares e boate, de frente para o mar. 


Passeio de um dia inteiro em Valle Nevado no topo da Cordilheira dos Andes
Programa realmente imperdível, mesmo se não for época de neve na Cordilheira dos Andes. Valle Nevado fica a 3 mil metros de altitude e esta a 30 km de Santiago. A temporada de neve geralmente começa em maio, quando estive na montanha e tive que inclusive alugar equipamentos para neve.  
Passei apenas um dia lá no topo da Cordilheira dos Andes (sim é possível fazer apenas o tour de um dia ) e a empresa que fez o meu tour foi a www.turistik.cl (não recomendo alugar carro e ir por conta própria pois a estrada é realmente bem cruel com 60 curvas arriscadas e essas empresas possuem motoristas bem experientes nesse tipo de trajeto. São competentes e atenciosos, bilíngues e te buscam no hotel pontualmente no horário combinado. Paguei antecipadamente com cartão de crédito. 

Post com passeio de um dia completo em Valle Nevado: 
http://glaumenezes.blogspot.com.br/2015/06/valle-nevado-no-chile.html

Valle Nevado - 3.000 metros de altitude na Cordilheira dos Andes
Compras em Santiago:
Santiago tem vários shoppings, mas os que eu mais recomendo sao o Parque Arauco (possui 50 restaurantes ao ar livre no boulevar) lá vc encontra diversas marcas como: GAP, Zara, H&M, Aldo, Diesel, Falabella, Ripley e Paris onde você encontra também eletrônicos e MAC, Bobbi Brown, NARS, Benefit, Dior, Clinique,etc. 

No final da sua viagem, não deixe de comprar vinhos Chilenos nos supermercados de Santiago, são muito baratos e de ótima qualidade. Compre também alfajores chilenos e o chocolate da Sanhe Nuss da marca Nestlé e que só é fabricado no Chile e foi o melhor que já comi na vida, com pedaços enormes de amêndoas e um chocolate aerado que derrete na boca (me arrependi de não ter comprado mais). Encontrei também no supermercado a linha para cabelos da John Frieda que em Santiago é bem barato. 


Um pequeno guia de sobrevivência em espanhol (ou portunhol se você preferir)

bom dia é buenos días, obrigado é gracias, vinho é vino e se toma em copa (taza é só para café), garrafa é botella, jantar é cena, gorjeta é propina, talheres são cubiertos (garfo é tenedor, faca é cuchillo e colher é cuchara), contestar é responder, cartão é tarjeta, molho é salsa, presente é regalo, vermelho é rojo, cachorro é perro, lugar é sitio, campo de futebol é cancha, um momento é um rato, bolso é bolsillo, pó é polvo e polvo é pulpo, comida deliciosa é exquisita, batatas fritas são papas, cabelo é pelo, perto é cerca, hoje é hoy, longe é lejos, amanhã é mañana, cedo é temprano, suco é jugo, frango é pollo, saia é falda, dançar é bailar, calça é pantalón, rua é calle, bêbado é borracho, vingar-se é desquitarse, rubio é loiro, carro é coche, quente é caliente, sobremesa é postre, salada de frutas é macedonia, banana é plátano, pêssego é melocoton, sorvete é helado, gelado é frio, leite é leche, desnatado é descremada, vitamina é batido, chá é te, refrigerante é gaseosa. Café preto é café negro (ou café solo), e eles não tem a menor idéia do que seja um "café carioca", presunto é jamon (se pronuncia Ramôm). 
Descansando as perninhas no Cerro San Cristóbal 

Cerro Santa Lucía

Terminei essa viagem com a deliciosa sensação de que o Chile tem mesmo um certo charme dos poemas do poeta chileno Pablo Neruda: 

"Muere lentamente quien no viaja, quien no lee, quien no escucha música, quien no halla encanto en si mismo. Muere lentamente quien destruye su amor propio, quien no se deja ayudar.Muere lentamente quien se transforma en esclavo del habito, repitiendo todos los días los mismos senderos, quien no cambia de rutina, no se arriesga a vestir un nuevo color o no conversa con desconocidos.Muere lentamente quien evita una pasión y su remolino de emociones, aquellas que rescatan el brillo en los ojos y los corazones decaidos.Muere lentamente quien no cambia de vida cuando está insatisfecho con su trabajo o su amor,Quien no arriesga lo seguro por lo incierto para ir detrás de un sueño, quien no se permite al menos una vez en la vida huir de los consejos sensatos…¡Vive hoy! - ¡Haz hoy!¡Ariesga hoy! ¡No te dejes morir lentamente! ¡No te olvides de ser feliz!".
Pablo Neruda - poeta chileno ganhador do prêmio Nobel de literatura.
Pablo Neruda e Matilda - Casa Museu La Chascona


Bandeira Nacional do Chile - Bairro Bellavista